Conecte-se conosco

Cidades

MP estuda medidas contra reabertura do comércio em Bastos e Tupã

Publicado

em

A reabertura do comércio e de serviços não essenciais em duas cidades na região de Marília – Tupã e Bastos – desde ontem (11), está sendo estudada pela Subprocuradoria-Geral de Justiça Jurídica do Ministério Público de São Paulo.

O órgão, chefiado por Wallace Paiva Martins Junior, avalia o que pode ser feito contra as medidas, que, segundo as prefeituras, estão embasadas em decisões do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

A mesma instância jurídica manteve a obrigatoriedade da Prefeitura de Marília em seguir o decreto do governador João Doria (PSDB) com regras para o combate do novo coronavírus, sob pena de multa diária no valor de R$ 100 mil.

Marília Notícia apurou que o Ministério Público pode, por exemplo, ingressar com uma ação de declaração de inconstitucionalidade contra os decretos municipais de Bastos e Tupã que regulamentaram a reabertura de lojas e serviços, mesmo com o suposto aval do TJ-SP.

O levantamento mais recente da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado, de 30 de abril, apontava que 48 municípios paulistas tentaram ou efetivamente flexibilizaram as regras estaduais que preveem o fechamento físico de lojas e empresas não essenciais.

Até então, ao menos 30 deles já haviam voltado atrás – quase sempre após ação do Ministério Público ou da própria secretaria.

Assessores da pasta ouvidos pela reportagem dizem que o mesmo ainda pode acontecer com Bastos e Tupã, cujas decisões judiciais não seriam definitivas.

Em comunicado oficial da Prefeitura de Tupã, um jurista ouvido pelo município também apontou a possibilidade de reversão judicial.

Ambas as prefeituras da região impuseram regras para a saída do regime de Isolamento Social em direção ao sistema de Distanciamento Social Seletivo.

Marília Notícia

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.