Conecte-se conosco

Destaque

Possível desobediência à sentença judicial para entrega de medicamentos a filho leva pai à Polícia em Lucélia

Publicado

em

 Um pai foi à Polícia de Lucélia e alegou descumprimento de ordem judicial por parte da Prefeitura da cidade em relação ao fornecimento de insulina para seu filho de 4 anos, que é portador de Diabetes Mellitus Tipo 1.

O contador Leandro Menezes Capetta diz que no dia 16 de fevereiro último conseguiu uma medida liminar que obriga o Município de Lucélia a fornecer medicamentos e insumos para o tratamento da criança.

Antes de ingressar na Justiça, o pai afirmou que haviam sido feitas tentativas administrativas para resolver o caso sem a necessidade da medida judicial, mas sem sucesso.

O mandado de segurança foi impetrado contra a prefeita de Lucélia e o diretor técnico do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília, reivindicando os medicamentos para tratamento da doença, de uso diário e por tempo indeterminado.

Em declaração à Polícia, o pai narra que já recebeu a medicação algumas vezes após o mandado de segurança, mas em datas atrasadas. Disse que em setembro quando da retirada dos medicamentos no Centro de Saúde da cidade, a entrega estava prevista para ocorrer no dia 3 e até agora não havia conseguido receber toda a medicação do kit.

Após o dia 3, o genitor fez várias tentativas sem sucesso para recebimento da medicação e que no dia 10 recebeu apenas os frascos de insulina. O pai disse ainda que entrou em contato diversas vezes com o DRS de Marília e, por telefone, a resposta é que haja novo contato, sempre no dia útil seguinte, porém sem qualquer previsão de entrega dos medicamentos.

Nem a Prefeitura de Lucélia e nem a Secretaria Estadual de Saúde se manifestaram sobre o caso.

Fonte: Aqui Lucélia

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.