Conecte-se conosco

Destaque

Secretário de educação de SP volta a defender a volta das aulas presenciais

Publicado

em

O secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, defende a volta obrigatória de alunos e professores para aulas presenciais em 2021. Em entrevista ao Estadão, o secretário falou sobre a possibilidade de uma normal estadual que responsabilizaria pais de escolas privadas e públicas que não mandassem seus filhos para a escola. Ainda de acordo com o secretário, só não voltariam às aulas, estudantes que tenham atestado médico ou estejam no grupo de risco.

“Educação é direito da criança e dever do Estado, deve ser obrigatória dentro dos protocolos”, afirmou ao citar que o tempo sem escola causou um “massacre educacional” na vida de crianças e jovens.
“Hoje a ciência mostra que o espaço escolar é seguro. As crianças não são grandes transmissores, não são o principal grupo de risco, mas são as mais afetadas por fazerem esse sacrifício de não ir à escola. A criança está regredindo do ponto em que estava, é um massacre educacional no futuro desses jovens”, declarou, em um trecho da entrevista.
O secretário ainda afirmou que as escolas da rede têm passado por intervenções para se adequarem aos protocolos sanitários, como reforma de banheiros em 4600 das cerca das 5 mil unidades.
“Temos desafios, problemas pontuais, mas não podem afirmar que as escolas públicas são tão ruins. Os pais precisam ir visitar as escolas, perguntar ao diretor o que ele fez com o dinheiro que recebeu”, disse, ao citar o repasse de R$ 700 milhões para melhoria na estrutura das escolas via programa Dinheiro Direto na Escola. “Quanto aos funcionários, estamos lutando para contratar mais gente”, completou.
Rossieli afirmou que o governo vai publicar uma normativa na primeira quinzena de 2021 falando sobre convocação dos professores. “Observando grupo de risco, mas teremos, sim, nossos profissionais na escola. Também vamos discutir com o Conselho Estadual de Educação em janeiro o que será obrigatório ou não. Mas com certeza nós teremos aulas presenciais públicas”.
O secretário ainda reconheceu que as escolas devem cumprir uma parte do ensino no modelo presencial e uma parte remoto. Atualmente, 1800 das cerca de 5 mil escolas estaduais estão com atividades presenciais. A volta, por enquanto, é voluntária.
Fonte: Carta Capital
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.