Conecte-se conosco

Politica

MP Estadual de Prudente emite nota: prefeitos que tentarem reabrir o comércio vão ser processados por improbidade

Publicado

em

PRESIDENTE PRUDENTE – Uma nota de esclarecimento emitida pelo promotor de Justiça, Marcelo Creste, da 13ª Promotoria de Justiça de Presidente Prudente, alerta prefeitos em geral que tentarem editar decretos para reabertura do comércio ou que sejam conflitantes com o Decretao Estadual determinado pelo Governador João Dória, poderão ser processados por improbidade administrativa.

Segundo o Promotor, “a Promotoria de Justiça tem sido consultada sobre a possibilidade de os Prefeitos, em especial de municípios com poucos ou nenhum caso de corona vírus confirmado, editarem decretos permitindo a reabertura do comércio. No entanto, essa possibilidade não existe”.

Segundo o promotor Cosme, “os municípios e os prefeitos devem obediência ao Decreto Estadual nº 64.881, de 20 de março de 2020. Caso flexibilizem as regras do Decreto, incorrerão no crime previsto no artigo 268 do Código Penal e na prática do ato de improbidade administrativa previsto no artigo 10 da Lei 8.429/92”, reforça.

De acordo com o representante do Ministério Público Estadual de Presidente Prudente, “o Supremo Tribunal Federal não autorizou e nem reconheceu o poder de os municípios reduzirem ou flexibilizarem as normas restritivas estaduais. O Supremo Tribunal Federal reconheceu que os municípios podem suplementar a legislação estadual, mas apenas para restringir ainda mais o conteúdo do Decreto Estadual”, entende o jurista.

“Nesse sentido recentemente também decidiu o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, tendo apontado que ‘a decretação de quarentena no âmbito estadual não parece desrespeitar recentes pronunciamentos do Supremo”, encerra Marcelo Creste.

Ocnet

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.