Conecte-se conosco

Destaque

TSE vai quebrar sigilos para descobrir quem financia campanha de mentiras contra as eleições

Publicado

em

Corte acredita que uma máquina profissional ajuda rede bolsonarista a disseminar fake news tendo como protagonista o próprio presidente da República

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está determinado a descobrir quem está financiando as fake news contra as urnas eletrônicas.

Para isso, deve quebrar sigilos telefônicos e fiscais de envolvidos com a divulgação das notícias falsas —inclusive de auxiliares próximos ao presidente Jair Bolsonaro, caso isso seja necessário.

Os magistrados pretendem determinar inclusive conduções coercitivas caso os investigados ou as testemunhas se recusem a depor no inquérito aberto na segunda (2) para investigar a disseminação de mentiras sobre o sistema eleitoral.

Um dos intimados deve ser o ministro da Justiça, Anderson Torres. E o próprio Bolsonaro pode ser chamado a depor, como mostrou nesta terça (3) a coluna Painel.

Magistrados acreditam que, como o objeto da investigação aberta pelo tribunal foi bem delimitado —o ataque às urnas—, será mais simples descobrir de onde vêm os recursos que financiam o que consideram uma farsa e curso, tendo como protagonista o presidente Bolsonaro.

As mentiras sobre a segurança do sistema de votação têm sido divulgadas em lives e pronunciamentos de Bolsonaro, mas também em redes sociais.
De forma anônima, elas são espalhadas em formatos de vídeos, fotos e textos bem elaborados.

Alguns dos vídeos contam até com a representação de atores e figurantes, em filmagens feitas com pelo menos duas câmeras, boa iluminação, edição e acabamento.

Em um deles, um homem joga na loteria e exige um comprovante impresso que o atendente se nega a entregar, dizendo que a operação fica registrada “direto no sistema”.

A peça foi distribuída para vários grupos de Whatsapp que apoiam Bolsonaro e é apenas um dos vários exemplos de ataques que circulam nas redes.
A desconfiança é de que o bolsonarismo segue usando uma máquina profissional de fake news que alcança e pode ludibriar milhões de pessoas com informações falsas.

 

 

 

Fonte: Uol

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.