Conecte-se conosco

Covid-19

SP vai antecipar 2ª dose da Pfizer quando receber mais vacinas do Ministério da Saúde, diz governo

Publicado

em

O governo do estado de São Paulo aguarda o envio de novas doses da vacina da Pfizer para diminuir o intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina. O governo vai a recomendação da redução do intervalo das doses da vacina da Pfizer. Os nossos técnicos, médicos, enfermeiros e profissionais da Secretaria da Saúde […] entendem que é possível reduzir o intervalo entre a primeira e a segunda dose, aliás, como estabelece o próprio fabricante”, afirmou o governador João Doria (PSDB), em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

O intervalo atual entre doses do imunizante no Brasil é de 90 dias.
A entrega de doses da vacina da Pfizer, única liberada pela Anvisa para aplicação em adolescentes, está no centro de um impasse entre o Ministério da Saúde e o governo paulista. Ontem (17), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski determinou que a União deve assegurar ao estado de São Paulo as remessas de vacinas contra Covid-19 necessárias para aplicação de segundas doses.
Na última quarta (11), Doria afirmou que a pasta não cumpriu o acordo firmado com o estado para a entrega das doses; o ministério nega.
O caso foi para o STF após a Procuradoria Geral do Estado de São Paulo ingressar com uma ação no Supremo contra a redução de distribuição destas doses do imunizante na última sexta-feira (13). Segundo procuradores, os novos critérios de distribuição, adotados no começo de agosto, retiraram mais de 220 mil doses da vacina da Pfizer do estado.
Questionado pela Cultura, o Ministério da Saúde afirmou que a remessa enviada já inclui as 50 mil doses adicionais: “O Ministério da Saúde informa que [no dia 10 de agosto] foram entregues 241.020 doses da Pfizer ao estado de São Paulo. As 50 mil doses extras estão contempladas nesta distribuição”.
Fonte: Uol
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.