Conecte-se conosco

Osvaldo Cruz

No Dia Internacional da Mulher, PM Laís Souza cita sonhos do pai e diz que profissão é “chamado”

Publicado

em

“Hoje eu fico muito feliz quando meu filho, na escola, fala para os amiguinhos: a minha mãe é policial. Isso, para mim, supera todas as dores que eu tive longe dele”, disse Laís (Foto: Roberto Pazotto - Magui Produtora)

“É sofrer e chorar todos os dias e ter muita força de vontade. É mais que uma profissão, é um chamado”.

É dessa forma que PM Laís Souza, que atua na Base Comunitária de Segurança de Osvaldo Cruz, descreve o sentimento de uma policial que, por algum tempo, precisou deixar tudo para trás, para buscar a realização de um sonho dela, mas que também era um dos sonhos de seu pai.

No Dia Internacional da Mulher, o Jornal Cidade Aberta, em parceria com a Rádio Max FM, bateu um papo exclusivo com a professora e também PM que, aos 32 anos de idade, sendo quase seis servindo à Polícia Militar do Estado de São Paulo, olha com orgulho para sua trajetória, ainda mais quando seu filho mais novo não esconde de ninguém a satisfação de ver a mãe servindo à população.

“Hoje eu fico muito feliz quando meu filho, na escola, fala para os amiguinhos: a minha mãe é policial. Isso, para mim, supera todas as dores que eu tive longe dele”, disse Laís.

O período longe do filho se deu quando Laís passou a trabalhar em São Paulo, há quase 700km de distância da família. Mesmo assim, ela não teve dúvidas do que tinha que fazer.

“Atrás dessa farda tem uma mãe. A gente chora, a gente sofre. Eu fiquei quase seis anos em São Paulo. Foi muito sofrido. Na época, deixei um filho de 13 anos e um de cinco. No começo, até acertar minhas escalas em São Paulo, cheguei a ficar um mês sem ver eles [filhos]. Sofri muito, mas foi fazendo a coisa que eu mais gosto”, garantiu a PM.

Sonho do Pai

Chegar à PM era um dos sonhos do pai de Laís, que também sempre disse à jovem que gostaria de ver a filha atuando como professora.

Em 2011, já sem o pai, Laís realizou o primeiro dos sonhos: se formou em pedagogia e passou a atuar como professora.

“Infelizmente, ele não teve a oportunidade de me ver formando”, lembrou Laís.

Mas ainda faltava algo. Em 2014, veio o concurso da PM. Após passar em todas as fases, a Laís realizou mais um desejo do pai.

A carreira

No tempo em que trabalhou em São Paulo, Laís (à direita da foto) conquistou o respeito dos colegas de batalhão (Foto: Facebook)

Em São Paulo, Laís imaginou sofrer em um ambiente majoritariamente masculino. Mas o receio deu lugar à segurança, respaldada pelo respeito encontrado dentro do ambiente de trabalho.

“Trabalhamos por um ideal. Lá, somos policiais militares”, resumiu a PM.

Respeito, esse, que também foi conquistado nas ruas.

“Hoje, as pessoas olham com orgulho, por verem as mulheres conquistando seu espaço”, disse Laís, que, inclusive, virou referência para diversas mulheres que também buscam ingressas na carreira militar.

“Muitas meninas perguntam como fazer para prestar o concurso, e até mesmo aquelas que são aprovadas pedem dicas. E isso é legal, pois é um incentivo para que mais mulheres buscarem entrar na carreira”, destacou Laís.

Mensagem às mulheres

“Que Deus possa nos abençoar e capacitar, cada vez mais, para sermos mulheres independentes e continuar conquistado os nossos espaços”.

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.