Conecte-se conosco

Covid-19

Municípios de SP começam a vacinar crianças em escolas na semana que vem

Publicado

em

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (16/2), o Governo do Estado de São Paulo anunciou a “Semana E” de vacinação infantil contra Covid-19 nas escolas. O objetivo da ação, que irá ocorrer entre 19 e 25 de fevereiro, é aumentar a cobertura vacinal entre as crianças de 5 a 11 anos.
Segundo o governador João Doria (PSDB), “o Governo de São Paulo já disponibilizou 100% das vacinas necessárias para imunizarmos todas as crianças do Estado. As escolas sempre foram grandes aliadas da vacinação e mais uma vez serão um diferencial para alcançarmos a nossa meta de vacinarmos todas as crianças de São Paulo”.
Os municípios que aderirem poderão vacinar as crianças sem burocracia, com apenas um documento de concordância dos pais ou responsáveis, que não precisarão estar presentes no momento da imunização. O termo já foi disponibilizado aos 645 municípios e poderá ser enviado aos pais e responsáveis nas escolas que aderirem a iniciativa.
Durante esta semana, os municípios poderão montar postos volantes de vacinação nas escolas municipais, estaduais e privadas, de acordo com a realidade local. A Secretaria de Estado da Educação irá disponibilizar as escolas neste período para que as equipes de vacinação dos municípios possam ampliar suas estratégias de vacinação.
São Paulo tem hoje 60% da população infantil vacinada com a primeira dose, em um total de 2,4 milhões de doses aplicadas, segundo dados do Vacinômetro desta quarta-feira. A imunização da segunda dose para as crianças que tomaram a vacina Coronavac começa no final de semana.
Coronavac
Durante a coletiva também foi anunciada a entrega, nesta quinta-feira (17/2), de um lote de 10 milhões de doses da Coronavac ao Ministério da Saúde. O Instituto Butantan confirmou um novo acordo para reforçar e agilizar a imunização de crianças contra a Covid-19 em todo o Brasil.
A aplicação da Coronavac em crianças e adolescentes foi aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no último dia 20 de janeiro. Há 15 dias, o Butantan formalizou ao Ministério da Saúde uma proposta de fornecimento de 10 milhões de doses da vacina. O documento foi enviado em resposta a consulta da própria pasta federal.
“Nós entregaremos a totalidade das 10 milhões de doses que já saem amanhã para os depósitos do Ministério da Saúde. O contrato foi assinado e, portanto, a liberação será imediata. Neste momento, estamos nos preparando para fazer esta entrega amanhã de manhã”, explicou o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.
No Brasil, as crianças de 5 anos e as imunossuprimidas de 5 a 11 anos só podem receber o imunizante da Pfizer, enquanto as demais podem ser protegidas pela Coronavac. Todas as vacinas aprovadas pela Anvisa são seguras e eficazes.
As 10 milhões de doses já estão envasadas e certificadas pelo rigoroso controle de qualidade do Butantan. Em 2021, o Butantan forneceu 100 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunizações, encerrando o contrato antes do tempo previsto, em meados de setembro.
Quarta dose contra Covid-19
Também durante a coletiva foi anunciado que está previsto para o mês de abril o início da quarta dose da vacina contra a Covid-19. O primeiro grupo a receber mais um reforço do imunizante é de idosos com mais de 60 anos.
A quarta dose será aplicada com a vacina que estiver disponível no Estado e a “que for orientada para a aplicação”, explicou o coordenador executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo.
Enquanto isso, segundo Gabbardo, o governo de São Paulo continua buscando os mais de 2 milhões de faltosos que não compareceram para tomar a segunda ou terceira doses de vacina contra a Covid-19.
A quarta dose já vem sendo aplicada na população imunossuprimida do Estado, mas o comitê científico vê a necessidade também de que idosos tomem a quarta dose porque nesse grupo há redução da capacidade imunológica.
Recorde de vacinação
O avanço da vacinação infantil contra Covid-19 no Estado de São Paulo já supera, em um mês, os números de países desenvolvidos e chega quase ao dobro dos EUA. Até o início da tarde desta quarta-feira (16/2), 60% do público de cinco a 11 anos de SP já havia recebido a primeira dose.
Nos EUA, a vacinação de crianças atingiu apenas 32% dessa população no país, apesar de ter começado em novembro de 2021, de acordo com o site do Centro de Controle de Doenças do país. Segundo o Vacinômetro do Estado de SP, o total de doses aplicadas na campanha infantil era de 2,4 milhões às 13h desta quarta, enquanto o público total dessa faixa etária é de cerca de 4 milhões de crianças.
Na Itália, as crianças começaram a ser vacinadas em dezembro e a primeira dose já foi aplicada em 36,27% do público-alvo. Na Austrália, que a exemplo de São Paulo passou a vacinar crianças em janeiro, a dose inicial contra a Covid-19 já chega a 47,62% entre o público de cinco a 11 anos.
O Canadá é o país com percentual de crianças vacinadas mais próximo ao de São Paulo. De acordo com o governo canadense, a imunização infantil começou em novembro e já protegeu 54,61% das crianças com a primeira dose.
As informações sobre a vacinação infantil em São Paulo estão disponíveis no site Vacina Já e também no portal do Governo do Estado. Pelo Vacina Já, também é possível fazer o pré-cadastro para a vacinação infantil. A medida é opcional e não é um agendamento, mas agiliza o atendimento nos postos, evitando filas e aglomerações. Para cadastrar os filhos, os pais ou responsáveis devem acessar o site, clicar no botão “Crianças até 11 anos” e preencher o formulário on-line.
Fonte: SP.gov
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.