Conecte-se conosco

Economia

“Me senti como um marginal”, diz proprietário da Capezio após ação da PM

Publicado

em

OSVALDO CRUZ – O proprietário da Capezio do Brasil, indústria osvaldo-cruzense que atua no ramo de dança e fitness, Walter Cavalcante, se manifestou pela primeira vez após ação da Polícia Militar de Osvaldo Cruz que na última terça-feira (24) esteve na unidade e acabou lacrando a fábrica (LEIA AQUI).

Presente na sessão extraordinária da Câmara de Osvaldo Cruz nesta quinta-feira (26), Cavalcante atendeu aos jornalistas e explicou que a ideia era dispensar os funcionários no dia seguinte, uma vez que a empresa tinha pedidos a terminar e o fato já havia sido, inclusive, comunicado ao prefeito Edmar Mazucato.

“Eu já tinha conversado com o prefeito que até quarta-feira (25) eu terminaria os pedidos urgentes que tinha para entregar. Estava totalmente dentro das normas dos decretos municiais e do governador Doria”, explicou.

O empresário lamentou a forma como a situação foi conduzida.

“A minha surpresa foi essa forma, até truculenta, onde lacraram, colocaram fitas, faixas e impediram todo mundo de entrar, além de evacuar aqueles que já estavam trabalhando”, disse Cavalcante ao citar a forma como a situação foi conduzida pelos policiais.

B.O, surpresa e medidas

Ao conversar com os jornalistas, Cavalcante revelou que recebeu horas antes o Boletim de Ocorrências que foi lavrado pela Polícia Militar no episódio.

“No final deste B.O, o próprio Capitão Kihara, escreveu que eu estava dentro da lei e que foi uma ação errada dos policiais”, disse o empresário.

O empresário confirmou que a ação acabou gerando prejuízos à empresa e que já está tomando as medidas cabíveis.

“Vou entrar com as medidas cabíveis. Minha empresa foi colocada em conflito social, o que não é cabível. Me senti tratado como um marginal. Você não entende mais em que país você está, sendo que estava dentro da lei e o próprio capitão reconheceu que as atitudes tomadas estavam em desacordo ao decreto do governador. Isso me dá sustentação quando a abuso de autoridades, indenizações que venham a ser pertinentes”, garantiu Cavalcante.

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.