Conecte-se conosco

Língua de Trapo

Língua de Trapo 005/2021

Publicado

em

Pai Nosso é universal, Ave Maria não – O Brasil é considerado um estado laico (que garante a liberdade religiosa de seus cidadãos) desde o ano de 1890. Tal fato se deu a partir do Decreto 119-A, de 7 de janeiro de 1890, que descrevia a separação definitiva entre Estado e a Igreja Católica Romana no Brasil (“É proibido a autoridade federal, assim como a dos Estados federados, expedir leis, regulamentos ou atos administrativos, estabelecendo alguma religião, ou vedando-a, e criar diferenças entre os habitantes do país, ou nos serviços sustentados à custa do orçamento, por motivos de crenças, ou opiniões filosóficas, ou religiosas”). Atualmente, as religiões mais praticadas no país são: Católica (representando, em média, 50% da população); Evangélica (31%); sem religião (10%); Espírita (3%); Umbanda, Candomblé ou outras religiões afro-brasileiras (2%); Outras (2%); Ateu (1%); Judaica (0,3%). Como se nota, mais de 80% das religiões praticadas no Brasil tem a figura de Jesus Cristo como seu protagonista. Dentro do cristianismo, a oração do Pai Nosso é praticada por todas as religiões que se identificam como cristãs, o que faz da mesma uma oração universal dos cristãos. Todavia, a figura de Maria (mãe de Jesus) é alvo de adoração tão somente pelos católicos e não pelas outras religiões. Assim, o Jornal Cidade Aberta (JCA) foi procurado por munícipes que trouxeram as seguintes perguntas: sendo o Brasil um estado laico, está certo, em Osvaldo Cruz, a Igreja Católica (com total respeito que cabe tanto à igreja como aos seus fiéis) colocar junto ao sino, que é soado de uma em uma hora para toda cidade ouvir, a melodia orquestral em louvor a Ave Maria diariamente ao meio dia e às 18 horas? Se alguma outra instituição religiosa tivesse feito algo semelhante, seria aceito?

 

Contas aprovadas – Mais uma vez o ex-prefeito Edmar Mazucato (PSDB) teve suas contas aprovadas. À frente da Prefeitura entre os anos de 2013 e 2020, Mazucato teve todas as contas de 2013 a 2017 aprovadas pelo Tribunal de Contas e também pela Câmara Municipal em anos anteriores. Na última sessão camarária, foram apreciadas as contas de 2018 e 2019 do ex-prefeito que foram também aprovadas pelo Legislativo Municipal. Ao JCA, o ex-prefeito disse que “é importante ressaltar o trabalho de toda a equipe da Prefeitura, pois o prefeito sozinho não faz nada, bem como de todos os vereadores que estiveram à frente da Câmara nessas duas gestões que estive prefeito, aprovando e indicando leis e projetos, e que também aprovaram as contas anteriores. Agradeço também aos atuais vereadores que aprovaram unanimemente as contas de 2018 e 2019, uma vez que também o Tribunal de Contas deu seu parecer favorável, assim como nos anos passados. Restam agora as contas de 2020, onde já fomos notificados e tem algumas coisas a serem respondidas, mas também parece que está tudo dentro das normas e dos índices percentuais exigidos. Isso nos mostra que o trabalho feito nesses oito anos de governo foi empregando corretamente o dinheiro público da população, dando toda a atenção que se fez necessária a cada cidadão, fazendo nosso serviço com carinho e dedicação em reconhecimento àqueles que confiaram a nós o governo do município por oito anos”. Vale destacar que ex-prefeitos como Valter Luiz Martins, o Valtinho (PSDB) e Wilson Aparecido Pigozzi (PTB) já enfrentaram problemas no passado por não ter suas contas aprovadas. Da mesma forma, na região, diversos ex-prefeitos enfrentam problemas na Justiça até hoje pela rejeição de suas contas (Parapuã e Salmourão que o digam).

 

Quem paga a conta? – É revoltante ver o desperdício de água por parte da Sabesp no que diz respeito a alguns reparos da tubulação de água na cidade. Recentemente, um vazamento foi identificado nas proximidades do Ginásio de Esporte João Torro Ovídeo, onde litros e mais litros de água tratada ficaram jorrando no local do vazamento por pelo menos três dias. Em tempos onde vira e mexe são enfrentadas crises hídricas, o desperdício é no mínimo revoltante.

 

Vitória dos professores. Vitória dos Estudantes – Ainda falando sobre revoltas, chega a dar raiva ver como o Governo Estadual insiste em tratar os professores como “folgados”. Na semana passada o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP), em luta sindical dentro do que acredita estar em defesa da classe que representa, conseguiu uma liminar na quinta-feira, 18, que garantia aos professores o direito de escolha de retornar ou não às salas de aula presencialmente enquanto não estiverem imunizados com as duas doses da vacina. Assim, cabia ao professor escolher retornar ou não, haja vista que é a sua vida que está em risco e, por mais eficaz que tem sido a vacina, mesmos alguns casos em que as duas doses já foram tomadas, a doença acabou prevalecendo (Tarcísio Meira foi um exemplo disso). Assim, diante da liminar, a APEOESP comemorou nas redes socias: vitória dos professores! No final da tarde de sexta-feira, 19, a liminar foi derrubada. O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) entendeu que a Secretaria Estadual da Educação adota todas as medidas necessárias para a prevenção da contaminação do Coronavírus nas escolas. Em um ataque direto, o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares da Silva, publicou nas redes sociais: vitória dos estudantes! Ao fazer isso, Rossieli deu a entender que a “vitória dos professores” divulgada pela APEOESP causaria uma “derrota aos alunos”. E não, secretário. O que a APEOESP rotulou como sendo “vitória dos professores” foi contra as medidas impostas pelo Governo Estadual e não pelos alunos. Professores e alunos não estão em confronto. Em confronto estão professores e Secretaria Estadual da Educação, cada um defendendo aquilo que acha certo. Respeito é bom e deve partir de todos os lados. Colocar alunos contra professores é, no mínimo, golpe baixo.

 

P.S. – Após uma longa pausa (devido a alguns ajustes que se fizeram necessários ao site), para a alegria de uns e tristeza de outros, o Língua de Trapo está retornando. A coluna volta a ocupar espaço semanal no www.jornalcidadeaberta.com.br (sem ter o dia específico para a sua publicação). Inté…

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.