Conecte-se conosco

Destaque

Justiça manda embargar obras de praça de pedágio em Garça após suspeita de calote de empresa

Publicado

em

A Justiça mandou embargar as obras da construção da praça de pedágio na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), em Garça (SP). A briga judicial envolve duas empresas responsáveis pela obra e vários fornecedores e funcionários que estão sem receber os pagamentos.

Isso porque depois de contratar funcionários, firmar contratos com lojas, postos de combustíveis, restaurante e hotel, a construtora Semco não cumpriu com os pagamentos das pessoas contratadas e gerou dívidas com comerciantes da cidade.
A Semco é a empresa responsável pela obra, que foi contratada pela Eixo SP, a concessionária que administra o trecho da rodovia. Desde o ano passado, as duas empresas travaram uma briga entre si em relação ao pagamento dos funcionários.
Enquanto a Semco diz que precisa ser paga pela Eixo para pagar os trabalhadores, a Eixo diz que o salário dos funcionários é de responsabilidade da Semco.
Por causa desse impasse, as duas companhias romperam o contrato em fevereiro. Com isso, mais de 40 funcionários foram demitidos e estão sem receber o acerto de contas, o que gerou a briga judicial.
Agora, a Justiça determinou que as obras do pedágio sejam suspensas para fazer uma análise do que a Semco já fez no local e tomar as medidas cabíveis.
Sobre essa situação, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) informou que o setor jurídico ainda está analisando a situação e não vai se posicionar por enquanto.
Já a Eixo SP informou, em nota, que recebeu com surpresa a notícia de liminar em medida judicial, mas que vai acatar “as decisões judiciais, sem abrir mão, contudo, dos meios legalmente existentes para reformar aquelas que entende como não condizentes com a realidade”.
Disse ainda que vai apresentar às instâncias competentes os fatos jurídicos que demonstrarão a inexistência de quaisquer débitos com suas contratadas e que as obras previstas em seu contrato de concessão serão entregues nos prazos compromissados com o Governo do Estado de São Paulo.
Fonte: G1
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.