Conecte-se conosco

Destaque

Ingrid Oliveira chora após eliminação na primeira fase dos saltos ornamentais

Publicado

em

O objetivo não foi alcançado. A saltadora brasileira Ingrid Oliveira foi eliminada na fase classificatória dos saltos ornamentais – plataforma 10m – na madrugada desta quarta-feira (tarde no Japão) ao receber 261.20 pontos depois de cinco rodadas no Centro Aquático de Tóquio. Ela terminou as Olimpíadas na 24ª colocação e saiu da água chorando.

A chinesa Yuxi Chen se classificou em primeiro lugar, com 390.70 pontos. A próxima fase, com as 18 primeiras saltadoras, acontece a partir das 22h (de Brasília) desta quarta.

Ingrid começou bem a prova e terminou os três primeiros saltos entre as 10 primeiras colocadas. A classificação ficou ameaçada a partir do quarto salto, quando a brasileira caiu para o 14º lugar. No encerramento, a saltadora foi mal e recebeu sua menor nota, ficando fora da semifinal.

“São coisas que acontecem. Esporte é feito disso. Estou triste porque nos meus treinos eu acertei todos os meus saltos e eu sabia que tinha condições de fazer tudo igual. Na prova eu não consegui fazer o que eu vinha treinando. No quarto salto, que é meu melhor, não consegui perceber se saí forte ou fraco, e isso fez com que eu errasse bastante”.

“Eu precisava muito acertar ele porque o último salto eu estava treinando há pouco tempo e todo mundo sabia disso. E aí a pressão ficou totalmente em cima dele, um salto novo, que eu tentei com todas as forças acertar, mas acabou que saí mais forte do que deveria e não consegui pontuação boa para passar para a semifinal”, disse a brasileira.

O caminho até a segunda Olimpíada

Aos 25 anos, Ingrid atravessa a melhor fase de sua carreira e chegou a Tóquio depois de um título no Grand Prix de Bolzano, na Itália, no começo de julho. Sem a lesão no punho esquerdo que a acompanhava desde 2019 e na melhor forma técnica, a carioca esperava mais em sua segunda edição olímpica. Não deu.

Na Rio 2016, Ingrid terminou a prova da plataforma 10m em 22º lugar, sem avançar à fase final. Ela errou um salto decisivo e não conseguiu passar para a rodada seguinte. Recebeu mais atenção por se envolver com o canoísta Pepê Gonçalves. O relacionamento entre os dois na Vila dos Atletas gerou uma crise entre ela e a então parceira na prova sincronizada, Giovanna Pedroso.

Cinco anos depois, Ingrid viajou a Tóquio uma atleta mais madura depois de batalhar muito. No início de 2019, ela começou a trabalhar como ambulante para levantar dinheiro. Fotos da atleta vendendo guloseimas durante o Carnaval circularam nas redes.

Alguns meses depois, a brasileira agravou uma lesão no punho esquerdo e precisou sair do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, na Coreia do Sul. Com a pandemia e a falta de treinos e compromissos, Ingrid conseguiu recuperar o corpo e a confiança. A classificação olímpica veio em maio deste ano no evento-teste disputado no mesmo Centro Aquático das Olimpíadas.

A eliminação em Tóquio

Ingrid Oliveira foi a penúltima a se apresentar no Centro Aquático, nesta quarta, e começou bem a prova, com um salto de dificuldade 3.2 – um duplo mortal e meio de costas com um parafuso e meio. A nota 65.60 deixou a brasileira na décima colocação entre 30 saltadoras.

No segundo salto, Ingrid apresentou um duplo mortal de costas com um parafuso e meio saindo de parada de mão e recebeu 64.00. A performance fez ela melhorar a colocação, fechando a segunda rodada em sétimo lugar.

Com dificuldade 3.0, a brasileira executou um bom salto na terceira rodada (triplo e meio mortal para frente na posição carpada), mas passou um pouco da vertical na entrada na água. Com a nota 57.00, Ingrid fechou a série na oitava posição.

O quarto salto rendeu nota 48.00 e fez Ingrid cair para o 14º lugar após um desequilíbrio na saída. Ela apresentou um triplo e meio mortal revirado na posição grupada. Foi aí que a classificação começou a desandar.

Após três bons saltos, o inesperado aconteceu na rodada final. Ingrid encerrou a fase classificatória com uma nota bem abaixo do que tinha conseguido até então: 26.60. A brasileira errou na finalização do quinto salto e saiu da água chorando, já sabendo que se despediria dos Jogos.

Classificadas para a semifinal feminina da plataforma 10m:

– Yuxi Chen (China)

– Hongchan Quan (China)

– Delaney Schnell (Estados Unidos)

– Melissa Wu (Austrália)

– Meaghan Benfeito (Canadá)

– Elena Wassen (Alemanha)

– Lois Toulson (Grã-Bretanha)

– Yulia Timoshinina (Comitê Olímpico Russo)

– Alejandra Orozco (México)

– Andrea Spendolini-Sirieix (Grã-Bretanha)

– Celine van Duijn (Holanda)

– Gabriela Garcia (México)

– Christina Wassen (Alemanha)

– Alaïs Kalonji (França)

– Sarah Jodoin Di Maria (Itália)

– Tanya Watson (Irlanda)

– Katrina Young (Estados Unidos)

– Pandelela Rinong (Estados Unidos)

 

 

 

Fonte: Globo Esporte

Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.