Conecte-se conosco

Covid-19

Estudo feito na pandemia indica que uma a cada quatro crianças tem depressão ou ansiedade

Publicado

em

Os dados sobre saúde mental na infância são preocupantes, e o volume de casos de transtorno se intensificou durante a pandemia. É isso que aponta um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) que acompanhou 7 mil crianças e adolescentes, em 2020.

Conforme a pesquisa, um em cada quatro crianças e adolescentes sofre de depressão e ansiedade. “A pandemia é uma situação de estresse que pode levar ao desenvolvimento ou ao agravamento desses transtornos mentais”, afirmou o coordenador da pesquisa e psiquiatra, Guilherme Polanczyk.
Pais procuram ajuda
Isadora Veiga tinha apenas cinco anos de idade quando os pais começaram a notar diferenças no comportamento dela. A menina apresentava resistência em ir para a escola, além de ter medo de dormir e crises de choro. A mãe, Edilaine Veiga, logo estranhou e decidiu buscar a ajuda com terapia.
“Na verdade foi uma coleguinha de sala que perdeu a mãe em um acidente e começou a dividir isso na sala de aula. Ia para a sala de aula, chorava, e ela viveu tanto aquilo, a emoção da amiga perder a mãe, que ela começou a ter esses sintomas de ansiedade, medo, agitação para dormir” explica a mãe.
Os sintomas foram diminuindo ao longo de dois anos de acompanhamento com a psicóloga. Edilaine diz que a terapia só trouxe benefícios para a vida da filha, atualmente com 8 anos de idade.
“Ela teve uma resposta muito rápida para a mudança. Ela começou a identificar isso, começou a tratar o trauma que ela teve e a gente começou a ver outras além disso também” completou.
Layna Nunes é médica psiquiatra e viveu situação similar em casa. Ela percebeu rapidamente a mudança no comportamento do filho.
Ela explica que o fato de ser profissional da área não criar uma proteção para ela ou para que qualquer familiar não fique doente.
“O que me favorece é ter uma mente aberta ao invés de ficar exitando de procurar ajuda, procurar imediatamente”.
Quando buscou ajuda para o filho, Layna notou a diferença na autoestima da criança.
“Depois de aproximadamente um mês de terapia, foi onde ele conseguiu se abrir comigo. Esse processo de terapia foi muito legal porque ela ajudou ele a desenvolver uma autoestima.”
Prevenção
Para a psicóloga Tatiane Navega, as principais queixas das crianças começam na escola, perdendo o interesse nas atividades. Por isso, é importante os pais sempre estarem em contato com o colégio e professores.
“Se é uma criança muito extrovertida, ela fica mais introvertida, ou uma criança muito mais sociável, que começa a ficar mais retraída”, explica Tatiane.
Segundo a psicóloga Aline Niemeyer, é preciso observar muito os pequenos. “A criança não vai falar que está triste, com depressão. A criança vai se expressar de uma outra forma”.
Para ajudar os pais, professores e as crianças a identificar os possíveis sinais de transtornos mentais, Aline escreveu o livro “Posso ser feliz vencendo a depressão na infância”.
O material ajuda a identificar todo o processo de uma forma didática. Ela explica que as imagens podem fazer com que a criança se conecte com o que está vivendo e a partir dessa conexão, começa a melhorar os sintomas.
O livro tem o foco na superação da depressão, mas pode ser preventivo também.
Fonte: G1
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.