Conecte-se conosco

Covid-19

Alta no custo do teste para coronavírus é investigada pelo Procon-SP

Publicado

em

O Procon-SP anunciou nesta segunda-feira (17) que autuou 40 estabelecimentos, entre farmácias e laboratórios, que deixaram de informar os preços dos testes de Covid-19 aos consumidores de São Paulo ou praticaram sobrepreço.

Desde sexta-feira (14), a entidade realiza uma megaoperação para fiscalizar preços abusivos cobrados por esses testes em drogarias e laboratórios do estado. A ação foi batizada de “Operação Teste Covid-19 Sem Abusos”.
Segundo o Procon-SP, foram constatados os preços mínimos de R$ 178,00 e máximos de R$ 385,00 para o exame PCR. No ano passado, o preço médio era de R$ 90. Os estabelecimentos fiscalizados terão que comprovar por qual motivo ocorreram elevações de preços, disse a entidade.
Pelo menos 88 estabelecimentos foram fiscalizados desde a semana passada .
Caso não haja uma explicação razoável e ditada por questões econômicas, pode ser caracterizada prática abusiva, de acordo com a entidade.
“A lei da oferta e da procura vale para situações de normalidade; no contexto de pandemia, o fornecedor não pode abusar do desespero e necessidade da população para obter ganhos desproporcionais”, afirmou o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.
O Procon-SP também afirma que a operação continua nos próximos dias e os fornecedores que estiverem praticando preços abusivos poderão ser punidos nos termos do Código de Defesa do Consumidor, segundo a entidade.
“O consumidor que se deparar com preço abusivo, muito acima do normal, deve fazer valer o seu direito; faça um print da tela, tire uma foto e faça uma denúncia no nosso site www.procon.sp.gov.br nossas equipes irão ao local para fiscalizar e autuá-lo por prática especulativa e abusiva”, afirmou Capez.
Fonte: G1
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.