Conecte-se conosco

Politica

Alckmin se desfilia do PSDB após mais de 33 anos no partido; ‘tempo de mudança’, diz ex-governador

Publicado

em

Foto de arquivo de 12/03/2018 do ex- governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) — Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) se desfiliou do PSDB nesta quarta-feira (15) após mais de 33 anos no partido. Ele entregou a carta de desfiliação ao diretório municipal do partido que ajudou a fundar.

Em sua conta no Twitter, Alckmin anunciou a despedida e o “novo tempo”.

“É um novo tempo! É tempo de mudança! Nesses mais de 33 anos e meio de trajetória no PSDB procurei dar o melhor de mim. Um soldado sempre pronto para combater o bom combate com entusiasmo e lealdade. Agora, chegou a hora da despedida. Hora de traçar um novo caminho”, afirmou.

“Jamais esqueci a lição do meu pai. Respeito às pessoas, lealdade aos princípios e firmeza de caráter. Só com esses valores é possível construir uma vida pública decente. Quero agradecer aos meus companheiros de jornada. Vocês foram muito importantes nessa travessia. Valeu cada obstáculo vencido, cada momento vivido, cada conquista feita. Em breve, anunciarei meus próximos passos”, completou.

Em conversa reservada com dirigentes da Força Sindical, Lula deu sinal verde para uma mobilização de sindicalistas em defesa de uma chapa com ele como candidato a presidente e, como vice, o ex-governador Geraldo Alckmin, de saída do PSDB.

No 9° Congresso da Força Sindical, o petista deu uma sinalização de que gostaria de fechar a chapa com Alckmin para a disputa de 2022.

“É uma pessoa que respeito muito, gosto muito. Sempre tive grande relação, sempre foi um bom governador. É um bom nome”, disse Lula segundo um participante relatou ao blog do Gerson Camarotti.

“O cara é bom. Continuem insistindo para compor a chapa. Foi bom para São Paulo como governador e vai ser bom vice para o Brasil. O Alckmin é uma pessoa honesta”, acrescentou Lula de acordo com outro relato.

G1
Continue lendo
--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.